quinta-feira, 26 de maio de 2016

Easy Riders

"Embora ele (Don Simpson) fosse agressivamente hétero, ele pegou a cultura gay - com sua confluência de moda, cinema, discoteca e publicidade - e a utilizou para unir os filmes "ingênuos" de high-concept que Spielberg e Lucas fizeram nos anos 70 com filmes altamente planejados como Flashdance, Top Gun e a série Um Tira da Pesada, nos anos 80. (Lembre-se da discussão sobre o subtexto gay de Top Gun feita por Quentin Tarantino em Vem Dormir Comigo). Não foi por acaso que a idéia do filme high-concept nasceu e se desenvolveu na Paramount, que algumas pessoas consideram o estúdio mais gay de Hollywood. Simpson estava para a cultura gay como Elvis Presley para o rhythm and blues, e apropriou-se dela, reapresentando-a para um público hetero. Os blockbusters que Simpson fez com Jerry Bruckheimer eram apenas pretextos para astros e estrelas se exibirem numa série de quadros cinematográficos acompanhadas de uma trilha barulhenta. Se, como Susan Sontag observou, a experiência essencial de ir ao cinema é o desejo de "ser raptado pelo filme, de ser possuído pela presença física da imagem, os filmes de Simpson-Bruckheimer - Top Gun, Dias de Trovão - , levavam tudo muito além. Eles pegavam a platéia à força. Era quase um estupro".

Peter Biskind, Easy Riders, Raging Bulls: Como a Geração Sexo-Drogas-Rock'n'Roll salvou Hollywood.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddThis